23 diciembre 2009

a las ocho manos!

não se sabe ao certo que mão escreveu que frase, tudo que se sabe é que oito juntas as escreveram, é assim, assim foi, nossa poesia concretizada a oito mãos!

Tipo esparadrapo

Descola sem grudar

Não toca o violão

Saluanda!

Olha pra mim

AGORA!

Mesmo que tudo não seja

cambalacho

Vejo um céu bunito e cor-de-rosa

Toco o leite das nuvens

Longe das almas sebosas

Perto da moça no escuro

Segundo, terceiro, quarto

De G.H.

BH

MG

TPM

Na navalha da língua da

menina de preto e

rosa-choque térmico

Parabólica bundamole

Em verniz verde e branco

RÁ!

E fim...

mãos: Dani Barbosa, Pedro Thomé, Bruna Brignol e Pedro Tomé!

01 diciembre 2009

vôo alto!

JowJow


a respiração ainda está presa pra não deixar a lágrima cair


pois o que sinto não é exatamente uma tristeza, apesar de haver algo de triste


é estranho vir do banheiro pra sala e ver a gaiolinha vazia


tantas foram as vezes que ele me acordou cantando as seis da manhã


mas mesmo assim eu nunca consegui ficar com raiva dele


era tão pequenininho


tão amarelinho


com as bochechas tão rosadinhas


cantava e piava tão alto


era tão leve


tão limpído


tão efêmero


tão efêmero vê-lo ir


vê-lo dar seu último vôo





dessa vez ele voou alto


e esse vôo vai deixar tantas saudades...





agora sim as lágrimas puderam vir!

29 noviembre 2009

folhas negras

era isso
era quando
era ele
era ela
nus
nós
eramos
era isso
era aquilo
era ponta dispensada
cabeça quebrada
pausa
escuro do quarto
era isso
era aquilo
era como quando
escrevia em folhas negras com caneta prateada
era isso
era aquilo
ia vindo
e ela
ia indo

16 noviembre 2009

naquele lugar


não lembrava mais o que havia dito ao amigo aquela tarde

fora algo bonito, sabia

sabia, também que tinha algo relacionado com não precisar saber

algo que não poderia mesmo ser contado

era algo presente

no futuro não poderia nunca ser passado

só era presente

sabia que lá não sentia, não era nostalgico, nem lento

não tinha nada a ver com sentir ou tempo

estava mais pra ser

mas não era no passado

era lá

só lá

lá era

ali era onde ia pra olhar pra dentro

de fora

e tudo que sabia era que algo provocava

algo estava nascendo

sendo germinado

ali

naquele lugar

13 noviembre 2009

era

andou pensando que os fins justificavam seus meios,
afinal
o interessante sobre ela
pra ela
não era o que era e sim saber que era ela

03 noviembre 2009

ela, a mesma de sempre...

estava ali
de frente pra ele
com vontade de falar
mas não sabia se seus ouvidos digitais eram capazes de ouvir
então bateu
os leves dedos magros nas teclas gastas do velho companheiro digital
era assim leve que levava os dias
mentira
era apenas uma nova tentativa
que só por ser nova, já causava orgulho
mas no fundo era a mesma de sempre
a que sonha acordada
que dorme pra sonhar
naquela ocasião sonhava em convidar
pro fundo do mar!

sonhaaava...

26 octubre 2009

sensibilidade crua

Escondidas. As raizes debaixo da terra não pedem recompensas por encher de frutos os ramos. dizia um sábio oriental. As x quem trabalha nos bastidores é + importante do que quem atua no palco. Omestre JESUS desaprovou a ostentação dos fariseus e doutores da lei, chamando-os de hipócritas, ou seja, bons artistas, que não vivem o que representam. Os trabalho menos vistósos são quase sempre os + necessários. Que o digam as donas de casa ou faxineiras e arrumadeiras, os serventes de pedreiro e tantos outros. Quem tem olhos de ver verá e aprenderá a não endeusar ninguém. Talento e competência nem sempre são captados pelas telecâmeras. As raizes não pedem recompensa. Saberão os frutos agradecer às raízes tributar-lhes parte do que são? Quando pensamos nessas coisas, surge a nossa mente uma procissão de amigos-RAÍZES ESCONDIDAS- que nos permitiram viver e ser o que somos.

Nelly Rocha Barbosa.
(D. Nelly é dona de casa, matriarca de uma família linda(a minha), mãe e avó exemplar e mulher dona de uma sensibilidade ímpar, quase irreal, quase crua!)

16 octubre 2009

acaso | s. m. | adv.

acaso
s. m.
1. Ocasião imprevista que produz um facto.
2. O que
acontece fortuitamente.
adv.
3. Quem sabe se?
4. Casualmente.
5.
Talvez.

14 octubre 2009

contemporânea

os sonhos são os e-mails da alma!
(D. Nelly).
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
contemporaneidade pós-sensível.
coisa de mulher que honra as saias que veste.
nesse caso, minha vó!.

21 septiembre 2009

REAL I (z) AÇÂO!!

essa é a palavra que está permeando meus dias ultimamente, acabo de chegar de uma sessão deliciosa de cinema. assisti a dois filmes interessantíssimos, na semana do realizadores (http://semanadosrealizadores.blogspot.com/) apresentada, no unibanco art plex, durante toda essa semana que antecede ao festival do rio. voltando aos filmes, foram o curta "Quarto de Espera" de Bruno Carboni e Davi Pretto, e o documentário "Um Lugar Ao Sol" de Gabriel Mascaro (www.simiofilmes.com/umlugaraosol). os dois foram desses filmes que fazem a gente sentir orgulho de sair de casa, pagar o ingresso, num domingo a noite chuvoso, e permanecer durante alguns quartos de hora diante de uma tela grande com a luz do refletor pulsando no rosto. mais ainda, orgulho de se ter estudado pra entender sobre o que isso tudo quer dizer, pois longe de isso ser uma tentativa de crítica aos filmes, é mais, é uma reflexão pessoal funcionando do micro pro macro no sentido de entender e amar o que se escolheu fazer na vida. também sou jovem e não quero parecer inadequada ao me expressar dessa forma, mas dá gosto de ver que ao contrário do que diz uma maioria massante, que a minha geração é alienada e desinteressada com as questões contemporâneas a ela. o que eu tenho achado ultimamente, principalmente desde que voltei de uma temporada fora do Brasil, é que há sim, pessoas ingajadas em fazer o que amam, acreditando piamente nisso, e fazendo disso a sua forma de rebeldia, sem precisar necessáriamente ir as ruas gritar ou expressar-se com um discurso que esse sim, não é mais do nosso tempo. também tenho consciência de que a grande maioria da sociedade não tem acesso a esse micro de luta e engajamento, mas nem por isso o torna menos importante. e eu também entendo por isso o fato da maioria ter um coinsciente coletivo formulado e tão forte. mas como disse entendo, o que não quer dizer que eu concorde ou pense da mesma maneira. por fim não sei mais de isso é mais um desabafo como o que fiz outro dia, ou se pelo completo contrário é um suspiro de felicidade de ver que nem tudo está perdido, pro jovem, pro cinema, pro brasil, pro mundo, pro ser! ou ainda se é só uma tentativa de me manter um pouco mais de tempo acordada, já que os filmes me causaram um frisson que não me deixam dormir imediatamente. mas fato é que algo está mudando sim, e a palavra é realização! é preciso realizar, é hora de ação! então, luz, câmera, !!!

http://www.youtube.com/watch?v=iqVQTuGZv6E
(tailer do documentário, "Um Lugar ao Sol")

16 septiembre 2009

sonhar não custa nada... mas pode sair caro!

hoje li sem querer, que "sonhar é bom pra quem não tem que acordar cedo"... é uma frase intrigante pra alguém como eu, que é tão intrigada. vou pensar mais no assunto pra decidir se eu continuo pensando ou se esqueço de pensar... então dormir e sonhar...

09 septiembre 2009

mulheres...

"você poderia ter escolhido ser só mulher, mas você escolheu ser GENTE!"
.
.
.
do filme "Dias e Noites" Dir: Beto Souza com Naura Schneider

01 septiembre 2009

horóscopo de hoje

"Vivemos numa sociedade que nos leva a sentir culpa quando assumimos as rédeas do nosso destino (...)"

e a palavra de ordem é:
NO CULPA!!! XÔ JULGAMENTOS!!!

desabafo

estou seca! não tenho mais lágrimas pra chorar pelos infelizes que se amontoam no dia-a-dia brasileiro. Não que essa seja uma questão nacional, ou regional, ao meu ver é uma epidemia humana em geral. Mas o que eu sei é que cansei! Cansei de me sentir culpada pela infelicidade alheia. Não tenho culpa se minha nota é muito alta pro valor do ônibus, eu não estava me negando a pagá-lo, mas aquele trocador me olhou com uns olhos que eu pensei que ele fosse me esganar! Mas depois pensando mais a fundo, descobri que não fora a minha nota de cinquenta que o fizera me olhar torto, então fiquei tentando entender o porque de tanta raiva naquele olhar, porque tanta energia ruim desperdiçada em tão poucos segundos. Por que não ao invés disto, tentar estabelecer uma relação cordial, tão pouco estava pedindo que ele me tratasse com carinho, mas com respeito no mínimo, respeito ao próximo, respeito ao fato de sermos seres humanos imbuídos se sentimentos e significações. Mas ainda mais tarde descobri o que o fizera tão mal humorado naquela tarde, era a infelicidade, a infelicidade de se ver levando a vida de uma maneira que talvez não tenha sido a almejada por ele e por tantos outros seres quando escutaram um dia alguém perguntar, o que você quer ser quando crescer? com certeza a resposta dele naquele momento não deve ter sido, trocador de ônibus infeliz! Só sei senhor trocador, que não, a culpa não é minha por isso ter acontecido. A vida é feita de escolhas, e é claro oportunidades também (não ignoro este fato), mas principalmente de escolhas, deve-se ser firme ao escolher, e manter a rédia curta até conseguir! E não é por que eu sou uma dessas pessoas que estou segurando a rédia firme até hoje (e vou fazê-lo até quando acreditar que isso seja a minha verdade!) que eu tenho culpa da sua insatisfação pessoal, e não vou mais aturar nem você nem ninguém tentando me levar junto pro fundo do posso da desistência! Porra, acorda levanta da cadeira, descobre o que te faz feliz, o que te move, e faz, faz sem pensar no bem, sem olhar a quem! Mova-se, tente, acredite, passe fome mas seja feliz, só não fique aí parado cuspindo no mundo suas frustrações e angústias fazendo com que o mundo gire cada vez mais pesado devido a tanta energia carregada, envolto nessa fumaça cinza que assola os covardes que se colocam no trem da condição humana robótica! Tranforme a palavra condição em possibilidade! Torne-se possível!! Sei lá faça alguma coisa, só não me venha nunca mais com esse dedo apontado pro meu coração que bate feliz em seguir sua verdade! Vamos passar a diante, vamos escolher ser felizes!! Com convicção, com coragem, coragem de sermos inteiros! Do contrário como disse Shakespeare, porque não acabar com tanto sofrimento?? Seria mais fácil... mais pelo menos do que passar a vida inteira esbravejando lamentos.

16 agosto 2009

siempre adelante

uma vez alguém me disse ao me regalar um trevo que aquilo não era pra dar sorte, e sim fazer lembrar aos que já a tem!

hoje depois de um ano, talvez essa pessoa nem se lembre de ter me dito isso, mas eu definitivamente, lembro como se fosse hoje e não esquecerei jamais

foi um ano vivido, mais um ano vivido! um ano sonhado, sentido, respirado, emocionado, ilusionado, fantasiado, estasiado, perfumado

pero tampoco he venido a rebuscar o a rimar! sino he venido a mesclar las lenguas, navegar no mar da vida com todas as vibrações verdadeiras das ondas...

he venido disposta a sentir, e tatuar na alma tudo que ficou

vou

me despeço de mim, de mim como era

chegarei

e darei boas vindas a mim, a mim como serei

e se me cabe faço uso de versos já tão banais mas não por e só por isso verdadeiros

... tudo vale a pena quando a alma não é pequena

... se chorei ou se sorri o importante é que emoções eu vivi!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

e agora é só o começo, mais um passo

siempre adelante

29 julio 2009

the moon


e depois de todo aquele dia no mar
sendo abraçada pelo vento
embalada pelas ondas
ninada pelo canto dos pássaros
envolvida pela lua amarela que brincava de esconde-esconde no céu
ela resolvera na manhã seguinte procurar uma pedra em forma de coração á beira mar, no fim do percurso...
.
foi quando se deu conta que um outro coração não se procura, se encontra!
.
mas uma coisa ela sabia, áquela lua, ela nunca esqueceria...

24 julio 2009

tanto/ tudo/ tanto

as inspirações são tantas e todas e de todos e tantos os lados
que às vezes me perco na tentativa (sempre frustrada) de me encontrar
são tantas línguas, diferentes palavras, expressões, impressões

é tanto de tudo, é de tudo um pouco e é muito, tanto que embola tudo
mas o que acalenta é que tudo fica aqui guardado no coração
como um bolo no forno, esperando pra hora certa de poder hueler e avisar que it´s time!

é um vulcão de informações sendo cozinhadas
uma grande mescla de temperos
é tanto que só consigo sentir
difícil decifrar na linguagem milenar das palavras
essas das quais eu gosto tanto

e vem sempre algo novo
não para
also a busca é incessante
e depois de tanta informação, de tanta língua ainda tem espaço pra dúvida
é com c ou com doble ss

é tanto que dá vontade de gritar
e nunca se sabe se é de saudade
se realmente é
se é a velha ou da que ainda vai vir
da que já se teme

da que evita pensar

21 julio 2009

amigos...

hoje vou usar a primeira pessoa, pra falar sobre todas elas, todos nós, todos eus
sabe quando o coração fica apertado que num cabe nem dentro de dois parênteses
tão feliz que poderia ser compardo a um asterisco saltitante
foi assim que eu me senti hoje, ao receber o carinho de alguns amigos tão amados
uns já esperados e fiés
outros surpreendentemente surpreendentes
outros tipicamente esquecidos
só sei que foi assim

amo muito tudo isso, como é bom ter amigos!
até mesmo àqueles que agora estão tão pertinho e daqui a pouco vou sentir tanta saudade!

18 julio 2009

ciclíco

tudo sempre um ciclo
do universo pra ela
dela com ela
ela pro mundo

colhe cores
mescla com sonhos
aperta numa seda cor de rosa
inala
vai direto pra alma
cala
vive
filtra
e devolve

e começa tudo outra vez
de fora pra dentro

recebe

01 julio 2009

mariposas rojas

"nenhuma chave é capaz de trancar meus pensamentos
...meus sonhos voam como borboletas através das grades"

dedicado à Pina Bausch e a todas as mulheres que honram suas saias!


26 junio 2009

09 junio 2009

Cansada de placer!

cómo es bueno estar cansada...
despues de haver pasado un día de puta madre haciendo lo que más nos da placer!

cómo es bueno estar ronca...
despues de haverse quedado horas chillando por la arte!

cómo es bueno echar de menos...
a amigos tan presentes, y además a los que acaban de llegar!

cómo es bueno estar sola...
y poder recibir un abrazo que viene de tan lejos, y se nos toca el corazón!

cómo es bueno sufrir...
por antecipación de saber que se va extrañar a pessoas tan guays que hemos conocido!

cómo es bueno sentir...
la Vida! Con V maiúscula!!!


DEDICADO A SOFIA, QUE ACABA DE CHEGAR!!

28 mayo 2009

vivendo o dia por dentro

é chegado um novo agora, de deixar passar o depois e viver o passado!


de usar a luz do dia pra pintar as unhas dos pés de vermelho!

de parar de roer as unhas das mãos!


de despertar a noite pra pensar e abrir a janela e respirar fundo o cheiro da lua!


de se preparar a cada segundo pra vida!

e de dizer Vida com V maiúscula!


de não julgar e não julgar-se

de ser sem mais...


é demais ser!

25 mayo 2009

a menina (na terra do nunca)

foi assim bem no instante antes de pegar no sono, aquele em que ela sempre pensa que já está dormindo e derrepente um pequeno passo dentro do sonho que ainda está meio desperto, a faz tomar um sustinho e despertá-la outra vez....
e foi aí bem nesse pequeno instante que ela se deu conta de que naquela terra do nunca, outra vez acontecia... ela se perdeu! se perdeu dentro de si, e dessa vez sentia que era preciso começar tudo denovo, despertar, levantar da cama, caminhar até si mesma e se encontrar...
mas no fundo ela adorava aquilo de se perder pra se procurar... e também de ter que lembrar-se de ser ela mesma, era como um pequeno puxãozinho de orelha e uma voz baixinha que sussurrava ao pé do ouvido: ei é novamente hora de lembrar de sonhar, de voltar a viver! (como ela realmente gostava...) de voltar a emocionar-se e sentir o mundo a flor da pele
porque pra ela era normal, esquecer daquilo que era mais importante pelo simples fato que acustumava-se a ser um novo ser de tempo em tempo, e assim ia renovando-se, mas também sempre chegava a hora do encontro com ela mesma e, ela dialogava
dessa vez talvez ela se permita um pouco de glamour e marque um encontro num café parisiense, num domingo a tarde, sentada numa mesa de canto com vista para os boulevares, e dialogue-se enquanto suas mãos misturam o chá em cima da mesa sem que ela perceba e que seus olhos passeiem pelas luzes ainda apagadas de Paris...

24 mayo 2009

Diquinha do momento!!



Demorou, mas chegou just in time, o mais novo blog "do momento":

http://jonomomento.blogspot.com/

e é com muito orgulho que eu eu invito a todos os meus seguidores que tornem-se fã dela (pois isso é inevitável!!) tanto como eu sou!!

Bem vinda Joaninha no momento!!

te amo amiga linda!

23 mayo 2009

Fantasias...


foram tantas as fantasias....
lembranças vividas
alegrias divididas
amores amigos
passado presente
presente futuro
futuro sempre lembrado!
amo vocês

16 mayo 2009

feliz aniversário...

foi assim, exatamente quando os zeros se encontraram foi quando as voz se ouviram e a garganta apertou quando escutou um "não acredito" engasgado no fundo do peito com a imagem do presente tão pensado em cima da mesa do quarto e todo o amor ficou repetidamente engasgado na garganta só fazendo com que ela quem ligou pra desejar só ouvisse e quem atendeu pra escutar só falasse... falou tudo que ainda podia ser dito naquela madrugada virada de fuso confuso onde as lágrimas eram todo o resultado de tudo que foi pensado e desejado e a emoção era tanta na exata hora que o dedo marcou o botão vermelho do skype, por que com elas era assim, era muita conexão, tanta que num tinha fuso que confundisse, não tinha distância que separasse, num tinha voz ao vivo que fosse mais presente do que aquela que vinha de longe, mal escutada e ressonante... ressoava no eco do coração e o amor e a certeza da presença era tanta que os dedos nem mais sabiam o que digitavam nas teclas do computador naquela madrugada de maio... era assim era muito amor, muita sintonia, era só disso que elas sabiam!

08 mayo 2009

Gripe

não sei se maldigo aos homens por serem mordazes e transformarem a desgraça dos outros em algo que os prevaleça

ou se os bendigo por serem capazes de transformar em arte algo que pode não passar de mais uma grande invenção capitalista
na dúvida prefiro ser otimista: a arte salva!



Máscara do ilustrador japonês Yoriko Yoshida

07 mayo 2009

...summer time

tudo novo denovo
ela ia ao encontro da lua ...se bronzear com seus raios de brisa
doce de verão
renovando o sonho
tudo é mais leve
mais límpido
é rio pulsando calmo e plácido nas veias
é a vida muito mais vivída
é o passo dado
aprendizado apredido
apreendido
aprendendo
renovando
.
.
.
reciclado

11 abril 2009

tum tum tum tum tum tum ....

daquela que aperta o coração e deixa ele pequinininho
que faz lembrar de flashs, como se fossem planos de um filme que num volta mais, mas que fez parte de um passado que encheu as gavetas de histórias,
boas de ficar lembrando, vivendo sonhos acordada!
sorrisos misturados com momentos felizes onde se sente que realmente quem tem amigo tem tudo,
hoje dedico minha saudade, essa que com muito orgulho sei que só existe em portugês, aos meus amigos,
aqueles que são de verdade e que por isso fazem tanta falta
aqueles que até merecem um post tão cafona
pois mudando um pouco o poema, quem não sente saudade é que é ridículo
ahhhhhhhhhhhhhh vontade de gritar, de abrir a janela e gritar pros amigos lá do outro lado ouvirem
hoje desejo viver minha saudade mais aguda, essa que empalidece a alma
que me faz ser eu no meu sentido mais real, que me faz escrever em primeira pessoa
que me faz sentir o coração do tamanho de uma moeda de um centimo!
que faz repetir, que faz escrever sem pensar, só sentindo
sentindo e colocando pra fora, deixando a palavra saltar cabeça a fora, direto pro papel
ou pras teclas onde os dedos batem acelerados num ritmo de nostalgia gostosa, acelerada rockpunkjazzsooul
saudade que mesmo nomeada nunca poderá ser explicada, não por falta de palavra ou de língua ou de expressão mas por que é assim ela é minha tá dentro, fazendo o coração pular pela garganta, fazendo os dedos não pararem de tocar a sinfonia das letras sempre acelerados
saudade gostosa, boa de ser vivida que da a sensação de ser especial de ser amado e amar tantos amigos tão .... já nem sei mais o que eu toh dizendo os dedos não conseguem acompanhar o ritmo frenético da melodia transmitida pelo coração...
saudade aperta... calam-se os dedos... soa o coração!

tum tum tum tum tum tum...

31 marzo 2009

Ângela nasceu!!!

almas sintonizadas, trocas, saudades, buscas, encontros,
encuentros, Clarice, Ângela, luz, cor, máquina de escrever,
imagens, amor, arte, fluidez, instinto...
Ângela surgiu, foi fecundada, esperada, falada,
imaginada, criada, recriada, inventada, reinventada,
gerada... veio de fora pra dentro e agora está outra vez fora.
Ela apenas existe...

29 marzo 2009

O Ulisses de Ângela


... queria por um dia poder ver o mundo pelos olhos de Ulisses, isso sim é que é ser grande!

não me apetecem os títulos grandes

cruzando linhas imaginárias
sem querer se publicar
não se apoiando no que é fugaz
defendendo-se da defesa
não querendo ser pagão
seguir
em frente
de vez em quando dando voltas como um nó
como um caranguejo que se desfarça de algo que está na lembrança mas não está nomeado
tentando fugir da explicação do porque se explicar
não querendo se confundir com quem não quer ser, e pensa que talvez já seja por isso sente medo
tento fugir de mim, pra não explicar o que sou
creendo que não deveria ser interesante a ninguém
ainda assim sigo tentando
a busca é próprio seguir
só não queria parecer tola
então sigo sendo como todo mundo
sigo sendo
como tudo
mudo

emudeço
pálida de alma serena
como diz a letra
tem dias que a gente se sente como quem partiu...

23 marzo 2009

La Duda!

era assim... tinha dias que simplesmente não sabia mas quem era, e onde estava, nada mas fazia sentido, mas tampoco era malo, se pasava bién con los hechos, sabia que tenia algo que aprender com tudo aquilo, mas por precaução falava no passado pra se defender, de que tampoco sabia. Supunha que de algo que se vê mal, mas que no fundo sabia que não era, ela acreditava no bem, e gostava da palavra suponer! e quando tudo estava assim, ela só seguia o curso do rio, escrevia pensando sobre quem leía... colocava reticências, vírgulas ou comas, ou queiram chamar. Le encantavam os nomes das coisas, pensava en él, y cómo él llegava derrepente! tão pronto! so soon!! le encantava perceber o que a vida sugere, quando por exemplo tentava escrever algo com acento circunflexo, e a tecla simplesmente fazia um til. hacía tiempo ella quisera hablar de algo que la molestara (tampoco sabia porque) pero sí la molestara! era um tal bêbado que escrevia sem acento ( o circunflexo) fazia tempo que queria corrigí-lo. Não sabia porque, porque queria corrigí-lo, porque não o corrigia. E porque só uma palavra pode transformar algo errado em certo, que poder era esse?? Bueno, ela era assim, le gustara la música, la poesia, sobretodo el teatro (como lo extrañava!), mas ás vezes pensava que era tão passado ser assim, se sentia cafona, queria gostar de algo mas original como pescar ou andar de patins, mas isso tampoco le sonava original. Ela era assim, ás vezes se colocava a escrever, e lembrava de como era bom, de como desejava não esquecer essa sensação nunca. Desejava também e sobretudo, não esquecer nunca de ser verdadeira, ela mesma, ao que sentia e ao que odiava. Ela era dessas que podia falar a palavra ódio sem culpa, porque uma vez aprendeu com sua mãe. Ela era assim queria falar de dúvidas só para que isso fizesse sentido com o título do texto. Ela era assim, não se sentia original quando procurava sentido pras suas coisas, mas tampouco queria ser alguém original. Ela só queria ser ela, y ya está!

11 marzo 2009

sem título

Ângela é o meu agora
Ela me justifica, é o meu depois
É pé pisando descalço na areia
fria e seca de inverno,
com sabor de verão
É a última mordida do hambúrguer
É enxergar o céu, é acreditar
Ângela é dar sentido ao que não tem
É voar dormindo ouvindo Marisa Monte
Ângela é meu segredo,
aquele que não contei nem prá mim
Ângela é tentativa de ser inteira
É conseguir chegar, é atender o telefone a tempo
É ver o mar, e respirar
Ângela sou eu até onde eu sei de mim
Ângela é colo de mãe na fria madrugada
É amor de pai, é ser amada!

26 febrero 2009

sendo


talvez nunca se seja, só se foi e se será
ser nunca é sou
não tem sido
só será

23 febrero 2009

INT - Sonho de Ângela - Noite

Autor - Ângela está crescendo
ela já tem um pouco mais do que só um nome e sobrenome
ela talvez até tenha um cachorro que se chamará Ulisses


Ângela - Estou dormindo e talvez sonhando, nunca pude saber quando uma coisa acaba e quando a outra começa, mas isso nunca foi um problema, essa é a minha solução... estou sspensa até que me encontrem referências


Autor - Busco referências pra Ângela, e me dou conta que o Sonho sempre volta à minha vida, é um ciclo... sonho é meu início sonho é meu meio sonhar sempre foi meu fim


PS: Lembrar da luz da lua, da cor azul, de cidade dos sonhos, brilho eterno de uma mente sem lembranças, escafandro e a borboleta, dalí, strinberg, clarice (sempre e pra tudo), cêmera na mão, steadycam, plano sequência... e o que mais surgir...

21 febrero 2009

entendendo

hoje tentei entender Clarice e logo entendi que ela não escrevia para ser entendida e sim para se entender...

...ao ler Clarice me entendo

manhã de carnaval

Ela era daquelas que naquelas noites de carnaval não sabia que sentia tanta falta do passado que um dia foi presente e agora só desejava o futuro para que fosse feliz, ou então alguém que inventava a realidade pra não ter que pensar no presente... o presente era um turbilhão de emoções que a faziam cambalear na sua segurança adquirida. mas também pensava que lhe caía bem o novo, tanto quanto uma frase começada com letra minúscula... e queria falar mais dessas coisas que vêm do coração porém sempre tomava muito cuidado pra não cair no clichê, era muito clichê ser clichê, mesmo quando lembrava de algo que tinha lido em algum lugar e que falava sobre se ter coragem de ser imbecil! Tampouco sabia se essa era a palavra correta a ser usada mas nesse momento eram tantas as novidades que precisou copiar as palavras de outro, nesse momento era como parêntesi aberto, e sabia que era importante que passasse um tempo assim, pra se descobrir e se descubrir...


ela era dessas, capaz de no mesmo dia que descobriu algo novo, descubrir-se de algo velho porém impensado

14 febrero 2009

INT - Quarto de Ângela - Noite

Ângela já nasceu
já tem nome e sobrenome (Pralini)
mas ainda não conheceu sua história
não por falta dela, pelo contrário
tem tantas...
tem sonhos e tarde
seu tempo é um
nenhum
todos

Ângela está viva
em seu quarto

ela escreve

sonha

escreve em seu diário
seu diário está em branco
vive

espera
seu tempo não passa


vive respira

sonha

11 febrero 2009

WANTED


En aquella fiesta, todos tuvieran la misma ideia... todos querian poner su corazón en el suelo. No tenía sentido, ella no podia compreender porque, pero ella no dejava, lutava, peleava, a favor de su corazón (siempre en favor del amor)... ella no podia cambiar, era así, nascida para amar, para creer en el amor de los seres humanos... entonces mismo despues que todos jugaron con su corazón, ella o envolvió en una cinta y o protegio del peligro... y para que quedase claro, puso la frase: CUIDADO FRAGIL. E así fue la historia del verde corazón. Ella no sabia se iba a funcionar, pero continuava ententando, ella era así... FUERTE! Le gustava hacer poesia de las cosas de esta vida...

01 febrero 2009

tentando entender...

não sei porque uma barreira entre o eu e o outro
afinal o outro é eu pra ele mesmo, não?
ou seja, sou eu, e não outro, pra si
e eu é outro pro outro, não?
ou seja, sou outro, e não eu, pra mim

29 enero 2009

novas repetições

tudo novo
de novo
novos medos
antigas saudades
um pouco de repetição
desafio
sonhos
pesadelos
insegurança

na vida
nos homens
na arte
no amor
na saudade
no crer
mais medo
mais insegurança
força

criar é isso

sinônimo de felicidade...

me sinto inteira, até a próxima vez que me sentirei pela metade.

26 enero 2009

tudo misturado

, um medo de perder tudo que tem, ou talvez o medo de descubrir que nem tem, que é só esperança, e tantas um vinho? que rima pobre! nada pode fazer parar, é preciso muito autocontrole pra separecia estar acalmado e derrepente vinha o furacão da calmaria, e tentava escrever pra acalmar e nada vinha, vou ter mas na verdade não não queria saber nada só botar pra fora pra ver se sai de mim sem esp aconteciam, e coisas estranhas também, mas deixava correr o curso da vida, é as controlar só queria ter você ou saber que um dia coincidências, ao mesmo tempo que queria o novo, mas será que o novo me quer? deixa as perguntas pra depois, só quedan respostas... contestações
contextar, textualizar, testar textos, testes e testes, assim e assim é e vai...
mas o rebuliço no estômago continuava, tinhae naquelas hoas dava um embaraço no estômago dias que era assim, tudo sim que é, assim que deve ser, ou não, mas a exaustão era constante e o medo do novoerar viver assim cada vez mais desesperado sem vírgula sem ponto

sem se esconder se mostrando talvez num seja mesmo nada num vou por isso por fim só não queria passar a vida com essa dúvida e agora pra num me mostrar tanto pra me preservar vou misturar tudo, mas antes soltar o restinho que falta trealidade uma amiga dizia que nunca quer deixar de ter olhos de menina e eu acho lindo do fundo de tudo ququanque seja breve mas a menudo não dói eu num sou forte e sim fraca
mãeeeeeeeeeee quero ser criança pra sempre quero mostrar minhas fraquezase é mais sagrado então vivo sobre essa filosofia um artista deve viver a sua eu vivo essa eu sou isso e sinto falta quando me afasto do que eu sou... hoje toh com saudade saudade de mim, do meu em horas que me dá uma agonia de não conseguir ser aquilo que digo e repito que todos devem ser, de assumi que não é fácil que é atormentante não saber lidar ficar nervosa por isso por talvez estar criando coisas pra não encarar a realidade mas que eu mais profundo, ddo morroque quero quero meu euro aquele que tento esconder pra não sofrer e quem disse que é isso quemesmo..................não vou me acoscobertor quero tumar a não me ter vou ser eu sempre quero teatro tablado nós minha vida meussaia de mim essa agonia ro você repito isso quero eu vidigal mequero ser eu toh com sau amigos chorar de saudade meu cachorromas que dade de mim

da minha casa da minha família do meu lugar
de você debaixo do meu agora e não só , quero que meu pai me proteja pra sempre quem num quer, bom mesmo se ningdo eu voltar não só em agosto
em geral eu entendo uém quiser eu quero assim hoje quero ser eu

18 enero 2009

INT - Habitación de la chica - NOCHE

Fade Out

La chica escribe, mientras la camara busca su mejor angulo


CHICA
sobre o que se escreve quando não se tem o que dizer?
talvez sobre qualquer coisa, pra não deixar de escrever...
a lo mejor se diga algo en otra lengua, solo para no quedar solo
en el suelo
sueño, ya! se cuenta un sueño
de estes que se recuerdan
sí! de hecho que se recuerra a un sueño
son siempre bién venidos
tantos los coloridos como los en P/B
en verdad que los mejores son cualquier un de ellos
desde que no dejes de sueñar
y se de todas las maneras no venir la expiración
que se escriban cosas bonitas y sencillas
las palabras como les gusten
en verdad que no importa la lengua o el asunto
que escribas lo que te de ganas
pero esso sí deves tener
las palabras deven tener ganas de salir para el mundo
no es necesario tener necesidad
pero ganas sí! siempre!
y que estrañe solo los hechos
los no hechos ojalá sejan olvidados
Vale?!
Venga...
Fade In

14 enero 2009

chega de tapa o sol com a peneira! ... só reflexões



naquela noite tava tudo tão normal que já era de se esperar que algo ocorresse





mas ela nunca ia imaginar algo tão tão assim que não tinha palavra que definisse





e ela só conseguia pensar que quando parecia entender nada estava entendido





afinal ela tinha perguntado pro irmão se tudo ia bem e ele havia dito que sim





tinha falado sobre vida com a tia





e sim, era tudo muito novo e muito velho ao mesmo tempo





afinal como alguém (de quem ela tinha gostado muito) havia dito naquele dia (num filme) as coisas são iguais, nada muda, a pessoa que muda, se QUISER





então ela seguia tentando entender, não tentando fazer resposta, mas cada vez mais pensando nas perguntas





e naquele momento só desejava paz e acalanto





na verdade sentia um pouco sim, pois afinal pra ela tinha sido bom, sempre





ela gostava, não tinha o que dizer, nem do que se queixar... era um perda (em algum sentido)


tinha memórias, boas





é muito louco pensar que algo já não existe mais... pelo menos não aqui.. e o que ficam são as lembranças... viver é um eterno risco, é preciso viver-se (em si)





e o mais louco é que tem gente do lado que nem sabe o que se passa





a amiga tá certa deve-se enxergar o que se vê


são só crianças inocentes querendo amor, mas não sabem como pedir








E isso agora? o que é? crescer? não me diga que é crescer? chega de tapar o sol com a peneira!





... só reflexões (não queria deixar em branco) chega de se explicar, de justificar








te desejo paz!


amo

até...

saudades presentes

quando eu voltar nunca mais vamos ser preguiçosas?

Não!

Vamos acampar?

Sim.


12 enero 2009

explosão

ai explosão
de saudade
antiga
nova
futura
é muita informação
são tantas
todos os momentos
acontecimentos
surpreendentes
quando algo que se espera
e acontece
acontece
é assim acredita e acontece
é um se livrar de verdade
não da verdade em si, mas pra achar a verdade
pra estar em busca
e daquilo que mais amo
do que mais se admira
do que mais se quer
derrepente se tem
num repente sem fim
é querer viver
é querer passar
é querer e ter
e estar

e derrepente também vem uma interrupção
uma poderia causar uma pausa
outras não
é assim que é
mas o fato é que a felicidade está
chega
chegou
é uma certa paz e uma agonia errada
que essa paz dá
é uma medo de ficar em paz
mas não significa esquecer
é só permitir
felicidade alegria tranquilidade
quando mais parece tudo estar tranquilo como um rio lento
a maré vira e acontece um turbilhão
e parece que só vai sossegar quando ela responder
é um saco isso de diferença de horário
três horas a mais pra lá
a menos aqui
um real que vale menos três
são muitos três
tem três demais nessa conversão
quero conversar
toh com muita saudade de saber o que se passa...
(frase roubada da conversa do msn)

o chá tá esfriando em cima da mesinha vermelha
e se tiver limites de caracteres no blog
ela vai estourar
tagalerando
palavreando
em todas as direções
em todas as pessoas
sem pausas
sem acentos
deve ter um monte de coisas escritas erradas
inclusive essa última frase tá uma bagunça
tudo rimando ou combinando

e ele...
ele tá lá.. sempre ensinando
sempre aprendendo
sempre surpreendendo
sempre grande
sempre pra mim
se eu quiser
nossa! muito egóico
puro lirismo
só por que eu quis
sem razão

ela num vem
ela num vê
mas ela tá lá
é sabido
ela escuta

explosão

10 enero 2009

futuras saudades

ano novo saudade nova
e velha
saudade que fica
que vai
que aumenta
que acalma
que ensina

foi mais um capítulo
mais um caminho
alguns caminhos
com ruínas em volta
com água em volta
com neve em volta

foram novas paisagens com pensamentos antigos
realizações acordadas
telefonemas incompletos
foram novas futuras saudades

novas futuras saudades
é o que fica quando já passou
e talvez só passe mesmo pra isso
isso que é gostoso
viva a vida que passa pra depois ser lembrada!
viva as novas conquistas
viva as futuras saudades
viva
vivo!